A eterna luta de classes, estereotipada pela cor do colarinho. Qual é a cor do teu colarinho?

Sábado, 4 de Junho de 2011
Momento da Poesia

Dedicado ao dia mundial da criança (ainda que atrasado).  

 

 

 

Corpo enfezado,

Pelado e mal amado,

Suspirando por um olhar atento,

Que forneça algum alento.

A pele desnuda,

Tão roçada que até a cor muda.

O olhar carente

Não mente,

Exprime em toda a plenitude

A dor que aquele ser sente.

Sabe que um dia,

Como o rico que tudo tinha,

A paz irá alcançar.

Estende a mão para dar,

E um pouco do teu amor ele irá achar. 

De intenções

Só advêm lições,

De actos que no ar ficam a pairar

Sem alguém para os concretizar.

Pinta por dentro

No seu cinzento,

Um Arco-íris de cores ribombantes,

E vê as jovens faces radiantes.  

Pinta o vermelho,

E dá um sorriso ao fedelho.

Pinta o amarelo,

E verás que lhe tornas o dia mais belo.

Pinta o rosa,

E a vida não mais será tão custosa.

Vês como é fácil,

É só pintar  

E ver o mundo mudar.

No fundo é tão elementar;

Para pintar o Arco-íris

Tudo o que tens que fazer, 

É somente amar. 

 

por Afonso Marujo, "Arco-íris" do livro "Silêncio: vai-se ouvir Poesia"



Traficado por Dinis Vieira às 20:03
Endereço do Antro | Chiba-te ao Gangster | O que consta nas Ruas (2) | Junta-te à Família

Procurar Cadáveres
 
Tráfico Recente

Momento da Poesia

Arquivo do Gangster

Julho 2013

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Cúmplices Recomendados
Sobre Dinis Vieira
Dívidas de Sangue
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!
tags

todas as tags

subscrever feeds