A eterna luta de classes, estereotipada pela cor do colarinho. Qual é a cor do teu colarinho?
Quarta-feira, 31 de Julho de 2013
Movimento Anti-Pesca

  

Aproveitando o mediatismo associado à campanha anti-touradas a decorrer em Viana do Castelo, a "Associação GCM" (Gangster do Colarinho Multicor) está a promover o movimento anti-pesca. Esta iniciativa conta com o apoio direto de muitas personalidades dos diversos setores da sociedade, nomeadamente todos aqueles que se têm manisfestado contra o sofrimento injustificado nas arenas dos animais com cornos, pois afinal de contas os peixes também são seres vivos e merecem semelhante compaixão. 

Correspondendo à celeridade que a gravidade da situação requer, uma das medidas que se encontra a ser preparada para ser apresentada nos paços do concelho municipal de Viana do Castelo, é precisamente a declaração oficial camarária de primeira cidade portuguesa anti-pesca

O nosso enviado para o local, Miguel Sonda, testemunhou em primeira mão alguns dos entraves a este movimento e conversou com os pescadores locais que vivem da fauna e com os defensores deste movimento. 

 

 

  

Entrevista a Fernando Elias, associado da GCM: 

Miguel: - O que reinvidica esta iniciativa e o que espera vir a obter das entidades oficiais? 

Fernando: - Não pretendemos nada que não tenha sido reinvidicado no movimento anti-touradas. O sofrimento dos peixes é atroz, os métodos utilizados hoje em dia comportam uma carga bárbara de dor a estes seres. Os peixes também têm alguns sentimentos, também vivem e existem como nós e como os touros, e a sua dor é a nossa dor. 

Miguel: - Não considera que o peixe é um alimento essencial na nutrição das pessoas do qual não podemos prescindir? 

Fernando: - Primeiramente deixe-me corrigir que não estamos contra o consumo alimentar de peixe, o que nos opomos categoricamente é contra as impensáveis técnicas de pesca que ainda vigoram, completamente arcaicas, e que já não se justificam hoje em dia. Somos contra o desperdício final que muitas vezes sucede em que toneladas de peixe são deitados fora por falta de escoamento no mercado. Isto é brincar com estes seres magníficos que nunca nos fizeram mal algum, bem pelo contrário, servem-nos de alimentação, limpam o oceano comendo os dejetos com que nós o poluímos, mantêm o equilíbrio de todo o ecossistema marítimo e fluvial.

Miguel: - Que ações de protesto estão a ponderar levar a cabo? 

Fernando: - Precisamos do apoio de todos nesta luta pela liberdade. Estamos a ultimar a preparação duma lista para a recolha de assinaturas de todos aqueles que quiserem juntar-se à luta anti-pesca, a qual pretendemos levar posteriormente à assembleia da república para reinvidicar junto do governo as nossas pretensões, à semelhança do que está a ser feito no movimento anti-tourada. Juntos vamos conseguir cessar com a opressão dos touros e dos peixes. Tortura dos peixes, nem é são nem é alimentação. 

Miguel: - Muito obrigado pela intervenção. Vou agora ouvir outra pessoa aqui presente, neste caso o Sr. Luís Zacarias. Boa tarde, segundo a informação que eu tenho o senhor é pescador, está correto? 

Luís: - Há 53 anos, home. 

Miguel: - O que acha deste movimento anti-pesca e que problemas poderá trazer para a sua atividade? 

Luís: - O que eu acho? São todos uma cambada de maluquinhos. Não têm mais nada que fazer, isso é que sim. Se tivessem uma sachola e fossem cavar terra já não vinham prá'qui chatear. 

Miguel: - Considera que o movimento poderá agravar as dificuldades do sector que já por si está difícil? 

Luís: - Nã grava nada! Nós pescamos aqui, eles ladram prá'li na praça dos lordes. Aquela praça no fundo da avenida onde fazem aquela algazarra toda, tá a ver? Lá aquele teatro daqueles que se mascaram,... põem uns cornos e mascaram-se de touros e depois andam ali às marradas uns aos outros todos de preto, lá com os doutores sentados nas cadeiras a ver o espetáculo. Hmm... é o que eu digo, não têm nada pra fazer. Nós cá levantamo-nos de madrugada, ainda o sol não raiou, e vamos pró mar pra ganhar o nosso. 

Miguel: - Que medidas ponderam adotar se o movimento vier a ser levado em conta pela autarquia? 

Luís: - Eles que venham cá! Quero ver. Nós nã gostamos de confusão mas se vierem feitos bicho bravo nós contamos cá uma coisa ou duas. A mim ninguém me lixa. E quando os vir novamente na doca para comprar peixe para comer, vão comer é pró $#&%$ que eu os &$#%$. Hei de pegar no peixe e enfiar-lhes pela %#&$%.  

Miguel: - Obrigado pela sua opinião. Hoje ficamos por aqui mesmo, visto estar a aglomerar-se um grupo aparentemente irado aqui próximo. Sou Miguel Sonda,... da GCM. 

  

  
( Para quem ainda não se apercebeu, este é um artigo satírico,
parodiando a futilidade do movimento anti-tourada, o qual aqui no GCM é repudiado.
Viana tem problemas mais prementes que o município não tem sido capaz de resolver,
insignificâncias como o desemprego acima da média nacional. ) 


Traficado por Dinis Vieira às 21:25
Endereço do Antro | Chiba-te ao Gangster | Junta-te à Família
|

Procurar Cadáveres
 
Tráfico Recente

Movimento Anti-Pesca

Corrupção na Origem da Bo...

O Real Crime de Colarinho...

Blogosfera Fotográfica: D...

A Questão da Instabilidad...

Extinção de Freguesias? S...

O Cavalo Azul de Rínia

Como potencializar o inte...

Instinto Animal

Oferta de Trabalho: Procu...

O Mundo poderá realmente ...

Humor Animado

Voz de Coragem

Curiosidades: Por uma unh...

Curiosidades: Ladrão com ...

Curiosidades: Ladrão com ...

Biografia de um Larápio

Ser Idiota Chapado está n...

Memorial às Vítimas de Mu...

Crónicas dum Proxeneta

Dicas para Poupança dentr...

Falsas Aparências

Passo em Falso

Tutorial Português dos Tá...

Tutorial infantil: o que ...

O Penhasco

Os Tachos

Arquivo do Gangster

Julho 2013

Abril 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Cúmplices Recomendados
Sobre Dinis Vieira
Dívidas de Sangue
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!
tags

todas as tags

subscrever feeds